Ted Gunderson

Theodore L. Gunderson (7 de novembro de 1928 – 31 de julho de 2011) foi um agente especial do FBI americano responsável e chefe do FBI de Los Angeles. De acordo com seu filho ele trabalhou nos casos de Marilyn Monroe e John F. Kennedy.

Depois de se aposentar do FBI, Gunderson montou uma empresa de investigação privada, Ted L. Gunderson e Associates, em Santa Monica.

Ele também investigou um julgamento de abuso de crianças em Manhattan Beach, Califórnia. Em uma conferência de 1995 em Dallas, Gunderson alertou sobre a suposta proliferação de grupos satânicos secretos, e o perigo representado pela Nova Ordem Mundial, um suposto governo das sombras que estaria controlando o governo dos EUA. Ele também afirmou que um “leilão de escravos” em que crianças foram vendidas a homens em turbantes tinha sido realizada em Las Vegas, que quatro mil sacrifícios rituais humanos são realizados na cidade de Nova York a cada ano, e que o atentado de 1995  em Oklahoma City foi realizado pelo governo dos EUA. Gunderson acreditava que nos Estados Unidos existe uma rede secreta e disseminada de grupos que sequestram crianças e bebês e os submetem a rituais satânicos e subsequente sacrifício humano.